O que são alucinações?

O que são alucinações?


Alucinações vêm em diversos tipos. Conheça os principais sintomas, causas e tratamentos

O que é uma alucinação?

A palavra alucinação vem do latim e significa “vagar mentalmente”. Alucinações são definidas como “a percepção de um objeto ou evento não existente” e “experiências sensoriais que não são causadas pelo estímulo de órgãos sensoriais relevantes.”

Em termos mais simples, alucinações envolvem ouvir, ver, sentir, cheirar ou mesmo sentir o gosto de coisas que não são reais. Alucinações auditivas, que envolvem ouvir vozes ou outros sons que não têm uma fonte real, são o tipo mais comum.

As alucinações comumente acontecem em pessoas com transtornos psiquiátricos, como esquizofrenia e transtorno bipolar. Entretanto, você não necessariamente precisa ter uma doença mental para sofrer alucinações.

 

Tipos

Existem cinco tipos de alucinações, são eles:

Auditivas – Ouvir vozes ou sons que ninguém mais pode, o tipo mais comum de alucinação.

Visuais – Ver pessoas, cores, formas ou objetos que não são reais, o segundo tipo mais comum.

Táteis – Sentir sensações físicas, como insetos andando na sua pele ou o toque de alguém.

Olfativas – Sentir um cheiro que não está lá, menos comum que alucinações auditivas ou visuais.

Gustativas – Ter um gosto na sua boca que não vem de lugar nenhum, o tipo mais raro de alucinação.

 

Sintomas

Alucinações podem ter uma variedade de sintomas, conforme o tipo. Alguns exemplos incluem:

  • Sentir sensações no corpo (como o sentimento de algo se movendo sobre a pele);
  • Ouvir sons, como música, passos ou portas batendo;
  • Ouvir vozes, que podem ser positivas ou negativas;
  • Ver objetos, seres, padrões ou luzes;
  • Sentir cheiros, que podem ser agradáveis ou não;
  • Sentir gosto de algo, geralmente um gosto metálico.

 

Diagnóstico

Depois de perguntar sobre seus sintomas, histórico médico e hábitos, seu médico provavelmente fará uma avaliação física e pedirá alguns exames para descartar causas médicas ou neurológicas das suas alucinações. Os exames pedidos podem incluir:

Exames de sangue, para verificar razões metabólicas ou toxicológicas.

Eletroencefalograma, para verificar convulsões e atividades elétricas anormais no cérebro.

Ressonância magnética, para procurar problemas estruturais no cérebro, como tumor ou sequelas de um derrame.

Infelizmente, estudos mostram que as pessoas pouco relatam alucinações[1]. Ao falar com seu médico, é importante ser completamente honesto(a) sobre a duração e frequência assim como os sintomas específicos associados a suas alucinações.

 

Causas

Alucinações são frequentemente associadas com a esquizofrenia, um transtorno mental caracterizado por pensamentos e comportamentos desordenados. Entretanto, elas também são uma possível característica do transtorno bipolar.

No transtorno bipolar do tipo 1, as alucinações são possíveis tanto durante a mania quanto durante a depressão. No tipo 2, as alucinações podem acontecer apenas durante a fase depressiva. O transtorno bipolar que apresenta alucinações e/ou delírios também pode levar a um diagnóstico de transtorno bipolar com sintomas psicóticos.

As alucinações não somente acontecem em condições mentais como esquizofrenia e transtorno bipolar, como também podem surgir em associação às condições físicas e fisiológicas a seguir:

  • Uso ou abstinência de álcool ou drogas;
  • Transtorno dissociativo de identidade;
  • Epilepsia;
  • Glaucoma;
  • Uso de alucinógenos;
  • Condições metabólicas;
  • Doenças no ouvido médio ou interno;
  • Enxaqueca;
  • Narcolepsia;
  • Transtornos neurológicos;
  • Doenças oculares;
  • Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT);
  • Transtorno esquizoafetivo;
  • Privação de sono;
  • Derrame.

 

Tratamento

O tratamento contra alucinações dependerá do tipo de alucinação, a causa raiz e do seu estado de saúde em geral. Normalmente, entretanto, seu médico provavelmente recomendará uma abordagem multidisciplinar que inclui medicação, psicoterapia e apoio social.

Psicoterapia

A psicoterapia para alucinações envolve motivar o paciente a ser curioso sobre os detalhes dos sintomas, oferecer educação psicológica, explorar causas plausíveis para as alucinações e normalizar a experiência.

Para falar com um psicólogo agora mesmo, clique aqui.

Autoajuda

As seguintes estratégias de autoajuda podem ser úteis para os pacientes com alucinações auditivas:

  • Exercícios;
  • Cantarolar ou cantar uma música várias vezes, como o “parabéns pra você”;
  • Ignorar as vozes;
  • Ouvir música;
  • Ler;
  • Conversar com outras pessoas.

Medicação

Remédios antipsicóticos geralmente são efetivos para tratar alucinações, seja eliminando ou reduzindo a frequência com que ocorrem, ou ao produzir um efeito calmante que diminui a aflição causada.

 

Convivência

Um aspecto importante de ajudar uma pessoa amada que está tendo alucinações é tranquilizar ela sobre a disponibilidade de tratamento. Abaixo você encontra mais algumas ações práticas que ajudarão a pessoa a lidar com as alucinações.

Preste atenção no ambiente

O ambiente pode desempenhar um importante papel nas percepções erradas e na piora dos sintomas. Por exemplo, um quarto mal iluminado, barulhento e bagunçado pode aumentar a probabilidade de uma alucinação.

Mantenha a calma

Embora possa ser assustador e desconfortável quando uma pessoa amada está alucinando, é importante que você faça seu melhor para responder de maneira calma e solidária. Por exemplo, você pode dizer “eu sei que isso é assustador para você” ou “não se preocupe, eu estou aqui”.

Use distrações

De acordo com a severidade da alucinação, acariciar a pessoa amada pode servir como distração e maneira de reduzir a alucinação. Outras distrações possíveis incluem conversar, ouvir música ou ir para outro cômodo.

Seja honesto(a)

Embora você não deseje incomodar a pessoa ou começar uma discussão, você deve ser honesto(a) com ela e garantir que você não está desconsiderando as preocupações dela. Se a pessoa perguntar “você ouviu isso?” Considere dizer “eu sei que você ouviu algo, mas eu não ouvi.”

Mantenha rotinas

Manter rotinas normais e estáveis pode diminuir a probabilidade de que a pessoa se afaste da realidade e sofra alucinações. Considere manter um registro de quando as alucinações acontecem e sob quais circunstâncias.

 

Fonte: What Are Hallucinations?

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário