Conheça os 7 tipos mais comuns de depressão

Conheça os 7 tipos mais comuns de depressão


A depressão atinge cada pessoa de um jeito diferente. Conheça agora os tipos mais comuns dessa doença.

Quando as pessoas pensam em depressão, elas geralmente a classificam em duas categorias: depressão clínica, que exige tratamento, ou depressão “comum”, que pode afetar qualquer pessoa.

Como um transtorno, a depressão um conceito difícil de contemplar, já que nos referimos a ela tanto como o sintoma de uma doença quanto como a doença em si.

O que é depressão?

Do ponto de vista médico, depressão é definida como um transtorno de humor que causa um sentimento persistente de humor deprimido ou tristeza. Além disso, geralmente há uma profunda perda de interesse nas coisas que costumavam te trazer satisfação.

A depressão afeta como você se sente, pensa e se comporta; ela pode interferir na sua habilidade de ser funcional e de tocar sua rotina. Existem muitos tipos diferentes de depressão, muitos dos quais não entendemos. Abaixo falaremos mais sobre os 7 tipos mais comuns.

 

  1. Transtorno depressivo maior (TDM)

Quando as pessoas usam o termo “depressão clínica”, eles provavelmente estão se referindo ao transtorno depressivo maior. O transtorno depressivo maior é um transtorno de humor caracterizado por vários sintomas chave:

  • Humor deprimido;
  • Perda de interesse nas atividades preferidas;
  • Mudança de peso;
  • Mudanças no sono;
  • Fadiga;
  • Sentimento de inutilidade e culpa;
  • Dificuldade de concentração;
  • Pensamentos sobre morte ou suicídio.

Se uma pessoa apresenta esses sintomas por um período superior a 2 semanas, ela provavelmente será diagnosticada com transtorno depressivo maior.

 

  1. Transtorno depressivo persistente (distimia)

Distimia, agora conhecida como transtorno depressivo persistente, se refere a um tipo de depressão crônica presente durante a maior parte dos dias em um período de pelo menos 2 anos. Ela pode ser leve, moderada ou severa.

Pessoas com essa condição podem passar por breves períodos sem sintomas depressivos, que não duram mais do que dois meses. Apesar de os sintomas não serem tão graves quanto os do transtorno depressivo maior, eles são generalizados e de longo prazo.

Os sintomas do transtorno depressivo persistente incluem:

  • Sentimento de tristeza;
  • Perda de prazer e interesse;
  • Raiva ou irritabilidade;
  • Sentimento de culpa;
  • Baixa autoestima;
  • Dificuldade em adormecer ou em continuar dormindo;
  • Dormir demais;
  • Sentimento de desesperança;
  • Fadiga ou falta de energia;
  • Mudanças no apetite;
  • Dificuldade de concentração.

O tratamento contra o transtorno depressivo persistente geralmente envolve o uso de medicamentos e psicoterapia.

 

  1. Transtorno bipolar

Transtorno bipolar é um transtorno de humor caracterizado por períodos de humor anormalmente elevado – a mania. Essa elevação pode ser discreta (hipomania) ou tão intensa ao ponto de prejudicar a vida da pessoa, exigindo hospitalização ou afetando o senso de realidade da vítima. A maior parte das pessoas com transtorno bipolar também têm episódio de depressão maior.

Além do humor deprimido e da drástica redução de interesse nas atividades de sempre, pessoas com depressão também podem apresentar outros sintomas emocionais e físicos, entre os quais:

  • Fadiga, insônia ou letargia;
  • Dores inexplicáveis ou agitação psicomotora;
  • Perda de autoestima e desesperança;
  • Irritabilidade e ansiedade;
  • Indecisão e desorganização.

O risco de suicídio para o transtorno bipolar é cerca de 15 vezes maior que para a população em geral. Psicose (incluindo alucinações e delírios) também pode acontecer em casos extremos.

 

  1. Depressão pós-parto

A gravidez pode trazer intensas mudanças hormonais que afetam o humor da mulher. A depressão pode começar na gravidez ou após o nascimento da criança.

Atualmente classificada como depressão periparto, a depressão pós-parto é mais do que o sentimento de tristeza que comumente sucede o nascimento do bebê.

Mudanças de humor, ansiedade, irritabilidade e outros sintomas não são incomuns após o parto e geralmente duram até 14 dias. Os sintomas do transtorno pós-parto, porém, são mais fortes e duram mais.

Entre eles, pode-se citar:

  • Humor deprimido, sentimento de tristeza;
  • Mudanças de humor severas;
  • Afastamento social;
  • Dificuldade em formar laços com o bebê;
  • Mudanças de apetite;
  • Sentimento de desesperança e desamparo;
  • Perda de interesse nas atividades preferidas;
  • Sentimento de inadequação ou inutilidade;
  • Ataques de ansiedade ou pânico;
  • Pensamentos de machucar a si própria ou o bebê;
  • Pensamentos suicidas.

A depressão pós-parto pode variar de uma letargia persistente e tristeza que exige tratamento médico até um caso de psicose pós-parto. Nessa condição, os episódios de humor perturbado são acompanhados por confusão, delírios e alucinações.

Se não for tratada, a condição pode durar até um ano. Felizmente, tratamentos com antidepressivos, psicoterapia e terapia hormonal têm se mostrado efetivos.

 

  1. Transtorno disfórico pré-menstrual

Entre os sintomas mais comuns da tensão pré-menstrual (TPM), estão irritabilidade, fadiga, ansiedade, mau-humor, inchaço, apetite maior, dores, cólicas, desejo por alimentos específicos e dor nos seios.

O transtorno disfórico pré-menstrual produz sintomas similares, mas aqueles relacionados ao humor são mais acentuados.

Os sintomas do transtorno disfórico pré-menstrual incluem:

  • Fadiga extrema;
  • Sentimentos de tristeza, desesperança e autocrítica;
  • Sentimentos severos de ansiedade ou estresse;
  • Mudanças de humor, geralmente com surtos de choro;
  • Irritabilidade;
  • Incapacidade de se concentrar;
  • Desejo por certos alimentos.

 

  1. Transtorno afetivo sazonal

Se você se sente deprimido(a), sonolento(a) e ganha peso durante o inverno, mas fica perfeitamente bem durante a primavera, você pode sofrer de um transtorno conhecido como transtorno afetivo sazonal.

Acredita-se que essa condição seja provocada por uma perturbação no ritmo circadiano no corpo (esse termo se refere às suas diferentes funções biológicas ao longo das 24 horas do dia). A luz que chega aos olhos influencia esse ritmo, e qualquer variação no ciclo noite-dia (como mudanças na duração do dia e da noite) pode causar uma perturbação que leva à depressão.

Felizmente, esse transtorno é mais comum nas áreas mais afastadas do equador, onde a diferença entre os meses frios e os meses quentes é mais pronunciada.

O transtorno depressivo sazonal é mais comum nas regiões do extremo norte e extremo sul do globo, podendo ser tratado com fototerapia para compensar a pouca luminosidade dos dias.

  1. Depressão atípica

Você sente sinais de depressão (como comer ou dormir demais), mas se vê animado(a) quando algo positivo acontece?

De acordo com esses sintomas, você pode ser diagnosticado(a) com depressão atípica, um tipo de depressão que não segue a manifestação “típica” da doença. A depressão atípica é caracterizada por um conjunto de sintomas relacionados a:

  • Alimentação compulsiva ou ganho de peso;
  • Sono em excesso;
  • Fadiga, fraqueza e falta de energia;
  • Sensibilidade intensa à rejeição;
  • Humor extremamente reativo

 

Fonte: 7 Common Types of Depression

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário