Vício em cocaína – Entenda os efeitos sobre a saúde

Vício em cocaína – Entenda os efeitos sobre a saúde


O vício em cocaína perturba todos os aspectos da vida de uma pessoa. Saiba como essa substância afeta a saúde mental e conheça as principais opções de tratamento.

Cocaína é um alcaloide (certas substâncias obtidas de plantas, fungos ou outros seres vivos) extraído das folhas de coca. Segundo um levantamento da Fundação Oswaldo Cruz[1], o Brasil é o segundo maior consumidor dessa droga no mundo – atrás apenas dos EUA. Essa droga é extremamente viciante e seu uso é ilegal no Brasil.

A cocaína é estimulante. Isso significa que ela aumenta a energia da pessoa, também deixando-a mais alerta. Ela afeta as vias neurais do seu cérebro, deixando você mais tagarela, enérgico(a) e eufórico(a). O vício em cocaína se estabelece com muita facilidade – mesmo depois de experimentar apenas duas ou três vezes.

O vício pode se manifestar fisicamente, o que significa que seu corpo pede pela droga. Mas também pode ser mental, de forma que você deseja intensamente os efeitos da droga.

A cocaína pode ser consumida de várias formas. A principal delas, porém, é aspirando pelo nariz. Outras opções incluem a aplicação nas veias por meio de injeção e inalação após o processamento em pedras (forma na qual ela é conhecida como crack). Independente do método, o vício pode se estabelecer com facilidade.

 

Quais os efeitos da cocaína?

 Por um curto período, a cocaína tem um efeito estimulante sobre o corpo. Ela aumenta, no cérebro, a concentração do neurotransmissor dopamina. Isso provoca sentimentos de prazer e satisfação – o resultado é um comportamento eufórico do usuário.

A cocaína previne que tanto a dopamina quanto outros neurotransmissores, como noradrenalina e serotonina, sejam absorvidos pelas células nervosas. Isso permite que grandes quantidades desses hormônios se acumulem e estimulem as células nervosas próximas. Isso reforça a euforia e o sentimento de prazer.

A cocaína também diminui sua vontade de comer e dormir. Algumas pessoas relatam que a droga faz com que elas pensem e realizem tarefas mais rápido. Quando o efeito passa, muitos usuários sentem muita falta dos efeitos que cocaína proporciona.

O uso frequente da cocaína pode fazer com que você desenvolva tolerância à droga. Isso significa que será necessário consumir uma quantidade maior para sentir os mesmos efeitos. Desnecessário dizer que quanto mais cocaína é consumida, maiores os efeitos na saúde física e mental.

Os efeitos psicológicos da cocaína incluem:

  • Paranoia;
  • Pânico;
  • Alucinações;
  • Agressão;
  • Irritabilidade;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Julgamento prejudicado;
  • Comportamentos repetitivos ou anormais.

Os efeitos físicos da cocaína incluem:

  • Perda de peso não saudável;
  • Frequência cardíaca maior;
  • Náusea;
  • Dor abdominal;
  • Dores de cabeça;
  • Dor no peito;
  • Arritmia cardíaca;
  • Ataque cardíaco;
  • Convulsões;
  • Derrame.

O vício em cocaína é associado a condições médicas como:

  • Doenças respiratórias;
  • Sistema imunológico mais fraco;
  • Hepatite;
  • Gangrena intestinal.

 

O que causa o vício em cocaína?

A cocaína afeta os sistemas neurológicos no seu cérebro. O uso de cocaína, principalmente o uso recorrente, pode alterar os sistemas associados com o prazer, memória e tomada de decisão. Quando alguém está viciado, sua capacidade de resistir a impulsos fica prejudicada, dificultando a interrupção do hábito.

Todos os estimulantes agem no sentido de aumentar a concentração extracelular (fora da célula) da dopamina, noradrenalina e serotonina. Drogas estimulantes também podem impedir o transporte desses hormônios.

A exposição repetida à cocaína causa neuroadaptação. Isso inclui sensibilização (resposta maior à droga) e tolerância (resposta menor à droga). Tolerância física aos efeitos da cocaína pode ocorrer após poucos usos. O que leva ao consumo de doses cada vez maiores para obter o mesmo efeito.

 

Quem está mais suscetível ao vício em cocaína?

Qualquer pessoa que use cocaína corre o risco de ficar viciada. Fatores que aumentam o risco de vício incluem:

  • Histórico familiar de dependência de cocaína ou outras drogas;
  • Vício em álcool ou outras drogas;
  • Doenças mentais, como depressão.

 

Quais os sintomas do vício em cocaína?

Os principais sintomas de vício em cocaína incluem:

  • Tolerância à droga, precisando de grandes quantidades para apresentar os efeitos;
  • Incapacidade de diminuir ou cessar o uso;
  • Sintomas de abstinência quando o uso para;
  • Desejo de continuar usando mesmo quando surgem complicações para a saúde;
  • Impacto negativo na qualidade de vida, relacionamentos em emprego;
  • Gastar muito tempo e dinheiro procurando por cocaína;
  • Psicose ou alucinações;
  • Irritabilidade ou ansiedade;
  • Desaparecer para sessões de consumo desenfreado.

 

Como o vício em cocaína é diagnosticado?

Para diagnosticar o vício em cocaína, seu médico vai discutir o consumo atual e seu histórico de saúde. Ele tentará determinar seu grau de dependência e sugerirá opções de tratamento. Um usuário que deseja tratamento terá que se comprometer a parar com o uso.

 

Como o vício em cocaína é tratado?

Vício em cocaína é uma doença complexa, com fatores físicos, mentais, ambientais, sociais e familiares. Existe uma variedade de métodos de tratamento contra esse vício que abordam todos esses aspectos.

Clínicas de tratamento

Programas de tratamento residenciais trabalham para cobrir todas as facetas do vício. Esses programas podem durar de várias semanas a um ano. Geralmente, grupos de apoio, reabilitação vocacional e terapia fazem parte do programa.

Medicamentos

Apesar de não existirem remédios especificamente desenvolvidos para tratar o vício em cocaína, alguns medicamentos, como os antidepressivos, podem ser úteis para combater os sintomas de abstinência.

Terapia comportamental

Terapias comportamentais mostram resultados promissores para ajudar pessoas com vício em cocaína. O tratamento pode ser aplicado isoladamente ou como parte de um programa de tratamento.

Nas terapias comportamentais pode-se usar de recompensas para celebrar metas relacionadas ao fim do uso da droga. A terapia cognitivo-comportamental, em particular, ensina processos que ajudam a pessoa a cessar o consumo.

Grupos de apoio

Grupos como os Narcóticos Anônimos são uma ótima oportunidade de trocar experiências e conseguir suporte de pessoas que passam ou já passaram por uma situação semelhante.

 

Quais os sintomas da abstinência de cocaína?

Usuários viciados que param de usar cocaína passam por um período bastante complicado chamado de abstinência (isso vale para virtualmente todos os vícios). A abstinência pode ser difícil devido ao desejo intenso e efeitos colaterais desagradáveis. Entre os sintomas desse processo pode-se citar:

  • Fadiga;
  • Hostilidade;
  • Paranoia;
  • Ansiedade;
  • Agitação;
  • Perturbações no sono;
  • Depressão.

A abstinência de cocaína pode causar desconforto extremo, e isso leva a um desejo intenso de usar a droga de novo. Mesmo quando os sintomas da abstinência tiverem passado, desejos súbitos são comuns.

Redes de apoio como amigos, familiares, instituições de tratamento e outras pessoas se recuperando do vício podem ajudar você a superar essa fase.

 

Qual o prognóstico para o vício em cocaína?

Vício em cocaína tem um sério impacto na saúde física e mental, podendo mesmo levar à morte prematura.

Se você ou uma pessoa querida estão viciados em cocaína, procure um médico. Também converse com uma pessoa de confiança que possa ajudar você a explorar opções de tratamento e encontrar outras fontes de apoio.

 

Fonte: What is Cocaine Addiction?

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário